sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Vírgula pode ser uma pausa... ou não.

Vírgula pode ser uma pausa... ou não.
Não, espere.
Não espere.

Ela pode sumir com seu dinheiro.
23,4.
2,34.

Pode ser autoritária.
Aceito, obrigado.
Aceito obrigado.

Pode criar heróis.
Isso só, ele resolve.
Isso só ele resolve.

E vilões.
Esse, juiz, é corrupto.
Esse juiz é corrupto.

Ela pode ser a solução.
Vamos perder, nada foi resolvido.
Vamos perder nada, foi resolvido.

A vírgula muda uma opinião.
Não queremos saber.
Não, queremos saber.

Uma vírgula muda tudo.

Detalhes Adicionais
SE O HOMEM SOUBESSE O VALOR QUE TEM A MULHER ANDARIA DE QUATRO À SUA PROCURA.

Se você for mulher, certamente colocou a vírgula depois de MULHER.
Se você for homem, colocou a vírgula depois de TEM.

Eu, não nós.
Mude para: Eu não, nós.


Origem: Campanha dos 100 anos da ABI (Associação Brasileira de Imprensa).

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Rastro de Rosas

Fica sempre um pouco de perfume, nas mãos que oferecem rosas, nas mãos que sabem ser generosas.

Origem: Web, e também atribuída a Thomas Cray (1716-1771) - Teólogo inglês.

domingo, 24 de agosto de 2008

Turning point

Toda viagem tem um "turning point", um ponto de crise.
Começa com um cansaço, com uma desmotivação para sair a visitar os lugares. Depois vai virando uma carência, uma falta de interação humana, social, mais precisamente de gente amiga. Ameaça virar uma rejeição à cidade e um "fui, galera!".
Aí vem a "re -virada". O que ajuda?
- Ver gente conhecida, falar a língua, interagir (tudo isto para reagir!). Começa-se a ficar mais feliz (quando se havia começado a ficar triste).

Origem: Aflora

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Atitude II - Quanto mais eu vivo ...

Quanto mais eu vivo, mais eu percebo o impacto da atitude na vida. Ela é mais importante que o passado, que a educação, que o dinheiro, que as circunstâncias, que os fracassos, que os sucessos, e do que as outras pessoas pensam, dizem, ou fazem.
Imagem do Ipu SpaceBlog

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Uma história real

Havia um homem que se chamava Fleming e era um pobre lavrador escocês.
Um dia, enquanto trabalhava para ganhar o pão para a sua família, ouviu um pedido de socorro proveniente de um pântano que havia na redondeza.

O Sr. Fleming largou tudo o que estava a fazer e correu ao pântano. Lá, deparou-se com um rapazinho enterrado até a cintura, gritando por socorro e tentando desesperadamente e em vão, libertar-se do lamaçal onde caíra. O Sr. Fleming retirou o rapazinho do pântano, salvando-o assim da morte.
No dia seguinte, chegou uma elegante carruagem à sua humilde casa, donde saiu um nobre elegantemente vestido, que se lhe dirigiu apresentando-se como o pai do rapazinho que salvara da morte certa.
- Quero recompensá-lo, disse o nobre.
O senhor salvou a vida do meu filho.
- Não, não posso aceitar dinheiro pelo que fiz, respondeu o lavrador escocês.
Nesse momento, o filho do lavrador assomou à porta da casa.
- É seu filho? Perguntou o nobre.
- Sim, respondeu orgulhosamente o humilde lavrador.
- Então, proponho-lhe o seguinte: Deixe-me proporcionar ao seu filho o mesmo nível de instrução que proporcionarei ao meu. Se o seu rapaz sair ao senhor, não tenho dúvida alguma que se converterá num homem de que ambos nos orgulharemos.
O Sr. Fleming aceitou e o filho do humilde lavrador freqüentou as melhores escolas, e licenciou-se em Medicina na famosa Escola Médica do St. Mary's Hospital de Londres
O filho do Sr. Fleming se tornou um médico brilhante e ficou mundialmente conhecido como Dr.Alexander Fleming, o descobridor da Penicilina. Anos depois, o “rapazinho”que havia sido salvo do pântano adoeceu com uma pneumonia E desta vez, a penicilina salvou a sua vida.

Quem era o nobre, que investiu na formação do Dr. Alexander Fleming? Sir Randolph Churchill.
E o filho do nobre, que foi duas vezes salvo pela família Fleming? Sir Winston Churchill.

Alguém já disse uma vez: O que vai, volta.

Trabalhe como se não precisasse do dinheiro.
Ame como se nunca tivesse sido magoado.
Dance como se ninguém estivesse vendo.

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

A importância de ouvir o cliente

No aeroporto o pessoal estava na sala de espera esperando a chamada para embarcar.
Nisso aparece o co-piloto, todo uniformizado, de óculos escuros e de bengala branca, tateando pelo caminho. A atendente da companhia o encaminha até o avião e assim que volta, explica que, apesar deles ser cego, é o melhor co-piloto da companhia.
Alguns minutos depois, chega outro funcionário também uniformizado, de óculos escuros, de bengala branca e amparado por duas aeromoças.
A atendente mais uma vez informa que, apesar dele ser cego, é o melhor piloto da empresa e, tanto ele quanto o co-piloto fazem a melhor dupla da companhia.
Todos os passageiros embarcam no avião preocupados com os pilotos. O comandante avisa que o avião vai levantar vôo e começa a correr pela pista, cada vez com mais velocidade. Todos os passageiros se olham, suando, com muito medo da situação. O avião vai aumentando a
velocidade e nada de levantar vôo. A pista está quase acabando e nada do avião sair do chão. Todos começam ficar cada vez mais preocupados. O avião correndo e a pista acabando. O desespero toma conta de todo mundo. Começa uma gritaria histérica no avião. Nesse exato momento o avião decola, ganhando o céu e subindo suavemente. O piloto vira para o co-piloto e diz:
- Se algum dia o pessoal não gritar, a gente está ferrado!

Moral: OUVIR OS CLIENTES É FUNDAMENTAL!!!

Stats

Stat