sábado, 24 de novembro de 2012

Quando a cautela vira indecisão?



Mario Cortela, respondendo à pergunta acima, citou esta parte do Poema de Álvaro de Campos (Heterônimo de Fernando Pessoa) que resume bem esta ideia:

Não há que fazer nada 
Na véspera de não partir nunca.

sábado, 17 de novembro de 2012

Sempre se cresce em direção ao passado

Na época eu não sabia que apesar de crescer, e por mais que se mire no futuro, sempre se cresce em direção ao passado, em busca, talvez, do primeiro deslumbramento.
Juan Marsé, no livro El Embrujo de Shanghai 

sábado, 10 de novembro de 2012

A quem cabe decidir?

Mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir entre rir ou chorar, ir ou ficar, desistir ou lutar; porque descobri, no caminho incerto da vida, que o mais importante é o decidir. Cora Coralina
Mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir entre rir ou chorar, ir ou ficar, desistir ou lutar; porque descobri, no caminho incerto da vida, que o mais importante é o decidir. (Cora Coralina)

sábado, 3 de novembro de 2012

Fim com dor, ou dor sem fim?

Melhor um fim doloroso, do que a dor sem fim. 
Fausto, personagem de Goethe.

Há uma versão tupiniquim que é assim: 
Melhor um fim horroroso, do que um horror sem fim.

Stats

Stat