sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

O que significa "a banalidade do mal"?

Hanna Arendt cunhou este termo que tem sido erroneamente explicado como o mal inerente em cada ser humano. Ela chegou a ele através de questionamentos como "O que precisa acontecer em uma sociedade para uma maioria de algum tipo transformar o mal em moralidade?". E, concluiu que o fardo da humanidade - que ao lado do abrangente Humanismo também desenvolveu outros "ismos" onde o "outro" é excluído, repousa sobre os ombros do indivíduo. Portanto, em sua obra Arendt reforçou o valor do pensamento, e da autocrítica, como ferramentas capazes de opor o ser humano à banalidade da ocasional moralidade da vez que justifica o mal. Ada Ushpiz, no Haaretz.

Stats

Stat