sábado, 29 de outubro de 2011

Eu sinto, logo, eu posso ser livre

Os pais brancos nos disseram, eu penso, logo existo, e as mães negras em cada um de nós - poetas sussurram em nossos sonhos, eu sinto, logo, eu posso ser livre.
Audre Lorde, no seu livro Power, Oppression and the Politics of Culture: a lesbian/feminist perspective via The English Corner
Citada pela escritora turca Elif Shafak no TED, vídeo abaixo, postado no blog Sabedoria Islâmica:

2 comentários:

  1. Ao menos o sentimento deve ser livre. Abraços.

    ResponderExcluir
  2. OI...
    QUE BOM QUE GOSTOU DO MEU CANTINHO!
    TAMBÉM GOSTEI DAQUI E JÁ ESTOU SEGUINDO!
    ABRAÇOS...

    ResponderExcluir

Stats

Stat