quarta-feira, 11 de abril de 2012

A "conexão" é só o meio para alcançar o objetivo final, não é o próprio objetivo!

José vivia há muito tempo atrás em Jerusalém. 
Ele precisava desesperadamente encontrar trabalho para sustentar sua família. Uma noite,  teve um sonho sobre um tesouro enterrado debaixo do palácio na cidade de Vilna, na Lituânia. 
Embora Vilna fosse situada ao norte da Europa, a milhares de quilômetros de Jerusalém, ele resolveu ir até lá para encontrar o tesouro. A viagem levou quatro meses e quando José chegou ao palácio, foi imediatamente confrontado pelos guardas do rei. Ele ficou tentado a mentir sobre o motivo de sua longa viagem, mas decidiu que dizer a verdade era o melhor caminho, já que não havia feito nada de errado. Assim, contou seu sonho ao capitão e ao ouvi-lo, o capitão começou a rir. 
- Se eu desse ouvidos a todos os meus sonhos, estaria em Jerusalém nesse instante. Sabe, essa noite mesmo eu tive um sonho sobre um homem que possui um tesouro enterrado em baixo de sua casa!
Pela descrição que o capitão fez da casa, José se deu conta de que ele era o homem e que o tesouro estava em baixo da sua própria casa. Nesse momento, José entendeu o motivo real da sua viagem: aprender aonde se encontrava o tesouro no final das contas.

O ensinamento nessa conhecida história é que o tesouro que procuramos está bem ali, no nosso próprio quintal. Mas para mim, existe um ensinamento ainda mais profundo no entendimento de que “ir para uma conexão” nunca é o objetivo final, mas sim o meio para alcançar um objetivo final. Não teremos completado o trabalho só por ter feito a viagem. É o que acontece depois que constitui a chave. Como José na história, precisamos retornar para as nossas vidas, para as nossas casas, e realizar ações com a Luz que recebemos. Yehuda Berg no seu Blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Stats

Stat